História Dia do Fotográfo

Pedro de Farias Costa, repórter fotográfico do Jornal de Alagoas e da Gazeta de Alagoas

Pedro Fotógrafo também trabalhou como fotógrafo oficial do governo de Alagoas.

08/01/2021 16h50 Atualizada há 1 semana
179
Por: Phablo Monteiro Fonte: Texto Geraldo de Majella / Site https://www.historiadealagoas.com.br
Pedro Farias, o Pedro Fotógrafo. Fonte: Edberto Ticianeli.
Pedro Farias, o Pedro Fotógrafo. Fonte: Edberto Ticianeli.

Pedro de Farias Costa nasceu em Atalaia (AL) no dia 28 de fevereiro de 1930. Filho de Floriano de Farias Costa e Maria Joana da Costa, em 1941 passa a residir em Maceió, no sítio Farol, na Avenida Fernandes Lima. Aos quinze anos, em 1945, inicia o aprendizado como fotógrafo no Foto Fiel.

A carreira profissional tem início em 1947, quando completou dezessete anos, como fotógrafo do Foto Ideal. Em 1948, transferiu-se para o Foto Stuckert, onde trabalhou durante dezesseis anos, até 1964. 

Em 1948, conhece Gerusa Firmino Costa com quem se casa e dessa união nasceram dez filhos. A fotografia como profissão é seguida por um dos seus filhos, Gilberto Farias, um dos mais antigos repórteres fotográficos do jornal Gazeta de Alagoas.

Eurico Farias, um dos irmãos, funda em Anadia (AL) um estúdio de fotografia, onde trabalhou como o fotógrafo da cidade por duas décadas. Assim como Pedro, os filhos de Eurico Farias também se dedicaram ao trabalho fotográfico enquanto existiu o estúdio em Anadia, encerrando as atividades profissionais com a morte de Eurico Farias.

Pedro Farias, a partir de 1956 passa a trabalhar no Foto Stuckert e no Jornal de Alagoas, órgão dos Diários Associados, o mais antigo e importante matutino de Alagoas. Em 1957, ingressa na Gazeta de Alagoas, permanecendo aí até 1965.

Nesse período participou da criação do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas, em 1959. Suas fotos mais famosas foram os flagrantes do tiroteio que ocorreu na Assembleia Legislativa durante o impeachment de Muniz Falcão em 1957. Algumas delas foram publicadas no The New York Times. Outros trabalhos seus também foram destaques na extinta revista O Cruzeiro. 

As redações dos jornais estavam todas localizadas no Centro de Maceió. Em 1959, foi morar na Rua Boa Vista, onde, em 1965, abre o seu próprio negócio, o Foto Studio Pedro Farias. Em 1989, no dia 23 de março, morre aos 59 anos num leito da Santa Casa de Misericórdia de Maceió. O Foto Studio encerra as suas atividades em 1992.

Pedro Farias trabalhou como fotógrafo oficial do governo de Alagoas, realizando a cobertura das audiências, viagens e inaugurações de obras em várias administrações. Ainda trabalhou prestando serviços à Companhia Telefônica de Alagoas (CTA) e, posteriormente, à Telasa (Telecomunicações de Alagoas S/A).

"Um craque na fotografia. Mantinha uma liderança impressionante na imprensa. Dava conselhos, orientava a turma jovem e sempre estava ao lado dos mais fracos. Um exemplo de homem e profissional. Tive a honra de trabalhar com ele", Gabriel Mousinho.

"Sabia muita história de bastidores no palácio dos Martírios. Fotógrafo de confiança de vários governadores", Bernardino Souto Maior Neto.

* Texto Geraldo Majella, publicado no site Historia de Alagoas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias