Cultura Evento Cultural

ASMALU realiza solenidade de outorga da Medalha Dra. Maria Thereza de Medeiros Pacheco

Solenidade foi comandada pelo presidente da Associação, Dr. Ronaldo Bernardo.

01/02/2014 23h45
23
Por: Phablo Monteiro Fonte: Fotos: Alberto Vicente
Solenidade foi realizada na ASMALU.
Solenidade foi realizada na ASMALU.

A Associação Cultura Professora Maria Luiza (ASMALU), realizou na noite deste último sábado (01/02), no aniversário de 250 anos da cidade de Atalaia, a solenidade de outorga da medalha Dra. Maria Thereza de Medeiros Pacheco, a personalidades construtoras do progresso, cultura e educação atalaienses.

Na abertura da solenidade, foi lindo pelo mestre de cerimônia um lindo resumo da história de Atalaia escrito pela saudosa escritora atalaiense Vandete Pacheco.

O Dr. Ronaldo Bernado, idealizador e membro da diretoria da ASMALU, em seu discurso explicou os motivos da escola do nome da Dr. Maria Thereza, já falecida: "Começo falando sobre a Dra. Maria Thereza de Medeiros Pacheco. Já a conhecia de militâncias no Conselho Regional de Medicina da Bahia, pois fui seu contemporâneo no Conselho Regional de Medicina de Alagoas e participamos por diversas vezes de eventos por esse Brasil a fora. Mas, sempre mantive uma respeitosa distancia em relação a ela, por sabê-la ser um dos expoentes da medicina da Bahia e do Brasil e eu ter uma certa timidez em me aproximar. Até que no dia 25 de maio de 2007, quando participava do 35º Encontro dos Conselhos de Medicinas da Região Nordeste, em Recife, assiste a Professora Thereza Pacheco em palestra que proferia, dizer ser alagoana de Atalaia. Aguardei a conclusão da sua palestra e me aproximei, iniciando o contato. Ele me confidenciou apenas haver nascido na Usina Rio Branco, em terras do Povoado Estrada Branca e ainda bastante nova ter se mudado para a cidade de Penedo, não mais retornando à Atalaia. Falei então das coisas da terra, da Matriz de Nossa Senhora das Brotas, do Centro Cultural Prefeito José Lopes Duarte, do Mercado Público e da Casa de Cultura. Ela então me pediu para avisá-la quando houvesse algum evento na cidade para que ela viesse até aqui. Seria a oportunidade que ela estava procurando para visitar a sua terra natal. Não houve tempo. Não aconteceu nenhum evento cívico que me possibilitasse efetuar o convite e não tivemos a presença da Dra. Thereza na cidade. Retornando do evento fui pesquisar sobre a trajetória da Dra. Thereza Pacheco. Descobri que ela nasceu em 02 de setembro de 1928 e faleceu em 12 de maio de 2010. Iniciou suas atividades medicas como ginecologista e obstetra. Foi a primeira catedrática de medicina legal do Brasil. A primeira mulher a dirigir o Instituto Medico Legal Nina Rodrigues da Bahia. Foi titular e presidente da Academia de Medicina da Bahia. Doutora em Medicina Legal pela Universidade de Paris. Pós-Graduada em Lisboa e Madrid. Fez viagens de estudos à Itália, França, Suíça, Alemanha e ao Continente Africano. Foi professora de medicina legal da Escola Baiana de Medicina, da Faculdade de Direito Federal da Bahia e da Universidade Católica de Salvador. Era Cidadã Honorária do Estado da Bahia e da cidade do Salvador. Multidisciplinar, ao final, dirigiu a Fundação José Silveira, referencia nacional na prevenção e tratamento de tuberculose. Após descobrir isso, passei a divulgar o nome da Dra. Thereza como atalaiense de nascimento. Fiz-lhe referencia elogiosas sempre que me foi permitido. Até que, ao acessar o site AtalaiaPop.com, deparei-me com a Dra. Thereza constando na galeria dos atalaienses ilustres por iniciativa do seu editor Phablo Monteiro que se encontra aqui presente. A partir de então entendi que seria possível prestarmos uma homenagem a esta atalaiense tão ilustre. Em Assembleia Geral Extraordinária sugeri ao corpo de associados da ASMALU a criação da medalha de mérito com o nome da Dra. Maria Thereza de Medeiros Pacheco, afim de prestar-lhe uma simples homenagem".

Representando os familiares da Dra. Maria Thereza, seu sobrinho Francisco Pacheco, em discurso emocionado agradeceu a homenagem prestada a sua tia: "Em todos os locais em que era homenageada, minha tia fazia questão de frisar com orgulho que era atalaiense, pois apesar do pouco convívio com o povo dessa cidade sentia um imenso prazer de fazer parte desta comunidade. Em nome de nossa família, venho para representar-lhe e agradecer a significativa homenagem. Isso é de uma responsabilidade imensa por tudo que ela foi e continua sendo no meio médico e jurídico da Bahia, de Alagoas e de todo o Brasil. Por tanto venho agradecer a essa associação o reconhecimento. Se viva fosse essa seria uma das maiores homenagens recebidas pela minha tia, pois trata-se de uma homenagem de uma cidade natal a uma filha pouco conhecida nessa cidade, mas que era conhecida mundialmente. Saibam todos os presentes que essa filha de Atalaia foi a primeira médica legista do Brasil, foi a primeira professora catedrática de medicina legal do mundo e portadora de vários títulos importantes como professora".

Os homenageados foram divididos em dois grupos, um para personalidades já falecidas, sendo as medalhes entregues a seus representantes e o outro grupo de atalaienses que ainda continuam trabalhando e produzindo para o progresso do município de Atalaia. O grupo de homenageados em memória é composto pelo ex-prefeito e ex-deputado estadual Zeca Lopes, pelo ex-prefeito Luiz Vigário, pelo ex-vereador Eurico Tenório, pela Dona Suzana Craveiros Costa de Medeiros e pela Dona Armênia Cerqueira de Albuquerque.

O grupo dos homenageados presentes é composto pelo poeta Antonio Aurélio de Morais (Mestre Tonho Sapateiro), Aldízio Pereira Leite, Sebastião Amaro da Silva e a Educadora Maidy Rocha.

Representando os familiares dos homenageados em memória, o vereador Fernando Vigário, comentou: "Gostaria de mostrar a felicidade que estou sentindo neste momento de vê tantas pessoas homenageadas e quero parabenizar ao nosso grande Comendador Dr. Ronaldo e sua esposa por essa iniciativa de termos hoje um local para que a nossa historia seja vivida e recontada. Que saudade da professora Vandete Pacheco que tanto lutou pela cultura e pela historia da nossa cidade. Homenagear essas pessoas em memória é muito fácil, mas infelizmente muitos não recebem o valor devido quando estão em vida".

Representando os homenageados presentes, a Educadora Maidy Rocha em seu discurso comentou: "Neste cenário da ASMALU saúdo a esta família que com tanta garra criou um espaço de resgate da cultura de Atalaia, porque a nossa terra, diga-se de passagem, está sem cultura e está sem resgate da sua história. Em nome dos homenageados aqui presentes, acreditamos que Atalaia ainda vai florescer, que Atalaia ainda será palco de tantas vitórias, que Atalaia terá a sua historia resgatada para que os nossos netos e filhos realmente saibam a origem desta terra de Zumbi dos Palmares, o último reduto dos Palmares, tão apregoado por Vandete Pacheco Cavalcante que na sua trajetória muitas vezes foi tão incompreendida e em uma das vezes ela diziam que dêem flores enquanto for viva, porque depois de morta já não precisará delas. Esta Comenda que receberei hoje dedico primeiramente a Deus, depois a minha família que aqui estar e particularmente as minhas três mestras que me ensinaram a amar e a fazer educação em Atalaia, a profesora Suzana Craveiro Costa de Medeiros, a professora Armênia de Albuquerque e a professora Vandete Pacheco Cavalcante".

Durante a solenidade também foi apresentado aos presentes a gravação do Hino de Atalaia, um projeto da ASMALU, cantado por músicos da cidade.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias