Quinta, 13 de dezembro de 2018
82 9 9131 8010
Brasil

01/10/2018 às 23h00

77

Phablo Monteiro

Atalaia / AL

Dia nacional do idoso: Aumenta o número desse perfil no ensino superior
Data é comemorada em 1º de outubro. Para suprir a falta de mão de obra jovem, essa fatia da população será convocada para o mercado de trabalho.
Dia nacional do idoso: Aumenta o número desse perfil no ensino superior
Layla Salmen Vale, de 86 anos é uma delas.

A população idosa do Brasil já era a quinta maior do mundo em 2016, segundo o Ministério da Saúde. A previsão para 2030 é de que o número de idosos no país ultrapasse o total de crianças entre zero e 14 anos. “Uma das consequências dessa inversão na pirâmide social é a presença cada vez maior de pessoas com mais idade no mercado de trabalho e nas instituições de ensino”, explica Benhur Gaio, reitor do Centro Universitário Internacional Uninter.


De acordo com o Censo-2016 do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), das mais de 8 milhões de pessoas matriculadas em cursos de graduação, presenciais e a distância, cerca de 24 mil têm idade superior ou igual a 60 anos.


“Essa fatia da população será convocada para o mercado de trabalho, já que não haverá reposição suficiente de mão de obra mais jovem. Ou seja, as instituições de ensino verão a presença cada vez maior de pessoas com mais idade procurando qualificação para corresponder às demandas do mercado”, comenta Gaio.  Atualmente, a Uninter contabiliza mais de 450 alunos acima de 70 anos, inclusive cursando MBA’s.


Layla Salmen Vale, de 86 anos é uma delas. Ela cursa Letras (Licenciatura) na modalidade a distância (EAD) da Uninter de Governador Valadares (MG). A história de Layla é como a de muitos idosos brasileiros.  Casou-se aos 22 anos, teve 10 filhos e não conseguiu terminar os estudos quando era jovem. Com 34 anos, iniciou o ginásio, e, aos 38 anos, começou a trabalhar com Magistério. Mas sempre teve o sonho de fazer um curso de ensino superior. “Fiquei muito feliz com a possibilidade de voltar a estudar. Agora, com tecnologia da internet, poderei aprimorar os meus conhecimentos em casa, com a ajuda da minha nora”, conta Layla.


A estudante se matriculou no centro universitário por indicação do filho, Emílio do Vale, que está cursando Geografia na mesma instituição. Pouco deslocamento, flexibilidade de horário e ritmo de estudo definido pelo aluno são alguns dos diferenciais do EAD. “Há mais de dez anos ele ouvia a mãe dizer que queria fazer um curso superior, mas não havia nenhum próximo da sua região”, conta Daniel Magalhães, gestor do polo Uninter em Governador Valadares.


Para facilitar o acesso desse público às ferramentas disponibilizadas pela Uninter, os alunos contam com o suporte de uma professora de informática para apresentar individualmente todos os processos para a realização dos cursos. Para as provas presenciais, por exemplo, um instrutor fica à disposição caso ele tenha dificuldade para digitar. “Como sabemos que a tecnologia é um entrave para esse perfil de estudante, buscamos acompanhar de perto para garantir o melhor aproveitamento”, conclui Magalhães.

FONTE: Giulia El Halabi - Assessoria de imprensa da Uninter

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Atualidades

Atualidades

Blog/coluna Uma maneira informativa e com qualidade de ficar por dentro dos principais fatos que estão acontecendo em nosso Brasil e no Mundo!
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium