Domingo, 03 de Março de 2024
27°

Tempo nublado

Atalaia, AL

Alagoas TJ/AL

Atalaiense Márcio Roberto vai oficializar sua candidatura a vaga de desembargador do TJ de Alagoas

Atual Procurador de Geral de Justiça é o favorito para a vaga de desembargador.

08/02/2024 às 15h01 Atualizada em 22/02/2024 às 19h25
Por: Phablo Monteiro
Compartilhe:
PGJ Márcio Roberto, concorrerá a vaga de desembargador do TJ/AL.
PGJ Márcio Roberto, concorrerá a vaga de desembargador do TJ/AL.

O atalaiense Márcio Roberto Tenório de Albuquerque, atual Procurador Geral de Justiça, é o favorito para vaga de desembargador do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), pelo Quinto Constitucional, que será destinada ao Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL).

Os trâmites para a escolha do novo nome que integrará o pleno do Tribunal de Justiça, já foi iniciado pelo Ministério Público, que na manhã desta quinta-feira (08), recebeu o presidente do Poder Judiciário, desembargador Fernando Tourinho de Omena Souza, que fez a entrega do ofício comunicando a aposentadoria do desembargador José Carlos Malta Marques e, por consequência, a vaga do cargo destinado ao órgão ministerial naquela Corte.

Em julho de 2023, o ilustre atalaiense já tinha confirmado seu interesse em disputar este nobre assento do Judiciário alagoano. 

Continua após a publicidade

“Sei que essa será uma tarefa difícil de ser alcançada por um homem pardo, de origem humilde, interiorano e ex-praça da Polícia Militar. Contudo, a missão não sendo impossível, tendo em vista que todas as instituições envolvidas são compostas de mulheres e homens virtuosos, comprometidos com a coisa pública e com o nosso valoroso povo, eis-me aqui, pronto para a disputa”, afirmou em carta aberta.  

MÁRCIO ROBERTO TENÓRIO DE ALBUQUERQUE

Natural do município de Atalaia, é filho de Maria Luiza Tenório de Albuquerque e Moisés Albuquerque Silva. Iniciou sua vida profissional em sua terra natal, como professor de História da Educação e Legislação, nos Colégio Dr. João Carlos e Colégio Nossa Senhora das Brotas. 

Após prestar concurso público foi aprovado na Polícia Militar como Sargento-Graduação de 79 a 82, concomitantemente cursou Direito no Cesmac, se formando no ano de 1982.

Em seguida pediu baixa da Polícia Militar e foi advogar de julho de 82 a março de 87, exerceu ainda o cargo de Consultor Jurídico do Município de Lagoa da Canoa de 85/86. Possui especializações em Direito Processual e Direito Penal. 

Foi ainda Professor Universitário no Cesmac por 14 anos e Seune por seis anos (Penal e Processo Penal). 

Ingressa no Ministério Público em 5 de março de 1987. Atuou como promotor de justiça por 23 anos, até ser nomeado procurador de Justiça. 

Enquanto promotor, iniciou sua carreira na 1ª Promotoria de Justiça de São Miguel dos Campos, na condição de substituto. Depois, passou a ser titular em diversas outras comarcas, a exemplo de Delmiro Gouveia, Água Branca, Cacimbinhas, Maragogi, São José da Laje e Arapiraca.

Em Maceió, Márcio Roberto ficou 10 anos no Tribunal do Júri. E foi lá que ele ganhou destaque em duas atuações. Na primeira, participou das investigações sobre a morte da então deputada federal Ceci Cunha, desde a fase do inquérito policial até a propositura da ação penal contra os acusados. Foi ele o autor da denúncia contra Talvane Albuquerque, acusado de ser o mentor intelectual da chacina. 

Na sequência, investigou e denunciou a Gangue Fardada, que era, à época, comandada pelo então coronel Manoel Cavalcante. 

Em 2010, Márcio Roberto ascendeu ao cargo de procurador de Justiça e passou a atuar na 4ª Procuradoria de Justiça Criminal. Em 2013, ele foi se tornou corregedor-geral de justiça, cargo que ocupou por dois anos. 

Por fim, ocupava o cargo de subprocurador-geral administrativo institucional desde 2017, compondo a administração superior na gestão de Alfredo Gaspar de Mendonça Neto. Após a renúncia e exoneração de Alfredo Gaspar de Mendonça Neto do cargo, em março último, Márcio Tenório passa a assumiu a chefia do órgão ministerial de foram interina.

Em eleição no dia 17 de abril, entre os membros do MPAL, foi um dos mais votados, passando a integrar a lista tríplice para o cargo de procurador-geral de Justiça. 

Foi nomeado como novo procurador-geral de Justiça de Alagoas por ato do governador Renan Filho, através Decreto nº 69.703, datado de 22 de abril de 2020, e publicada no Diário Oficial de Alagoas do dia 23 de abril. Seu primeiro mandato foi exercido entre os anos de 2020 e 2022. Reeleito PGJ para os anos de 2023 a 2024.

PGJ Márcio Roberto recebe ofício comunicando sobre vaga para desembargador que será destinada ao MPAL.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias