Quinta, 25 de Julho de 2024
21°

Tempo nublado

Atalaia, AL

Cultura Sanfona do Rei

Sanfona do Rei fica com a terceira colocação no Forró & Folia 2024

Concurso de quadrilhas que é promovido pela Organização Arnon de Mello em parceria com a Liga das Quadrilhas Juninas de Alagoas.

19/06/2024 às 07h32 Atualizada em 16/07/2024 às 23h05
Por: Phablo Monteiro Fonte: Gazeta Web / Fotos: Ailton Cruz
Compartilhe:
Sanfona do Rei fica com a terceira colocação no Forró & Folia 2024.
Sanfona do Rei fica com a terceira colocação no Forró & Folia 2024.

Com uma das mais lindas apresentações da grande final do Forro & Folia 2024, a junina atalaiense Sanfona do Rei obteve 149,4 pontos, ficando com a terceira colocação do tradicional concurso de quadrilhas que é promovido pela Organização Arnon de Mello em parceria com a Liga das Quadrilhas Juninas de Alagoas. 

A final foi disputada na noite desta terça-feira (18), no Sesi Cambona, em Maceió. Apenas dois décimos separaram a Sanfona do Rei do sonhado e merecido título, que acabou ficando com a Amanhecer do Sertão (149,6 pontos) e segundo lugar com a Luar do Sertão (149,6 pontos). O desempate ocorreu no critério coreografia. 

A Sanfona do Rei foi a segunda quadrilha a mostrar o enredo, coreografia e toda arte criada para encantar o público no Ginásio do Sesi. Da cidade de Atalaia, a Sanfona do Rei levou o tema “Viramar: eu sou marinheiro neste São João”. A protagonista dessa história foi a sanfona de ouro de Luiz Gonzaga. Tudo começa quando o instrumento se perde em alto-mar. O sertanejo João toma para si a missão de encontrar a sanfona.

Continua após a publicidade

 

Durante a missão, João se encontra com Antônio Conselheiro, enfrenta a profecia de que o Sertão vai virar mar, duela com o bando de Lampião, apaixona-se por uma sereia e ainda enfrenta um dragão no mar. A quadrilha Sanfona do Rei também homenageou o Rei do Baião.

O presidente e noivo da Sanfona do Rei, Max Medeiros, fala sobre os desafios, mas também a alegria de fazer parte desse momento. “É gratificante por fazer a cultura que a gente gosta, que quando entra no palhoção, a gente fica realizado. Gosto de representar a minha cidade, que sempre nos ajuda. É um desafio grande e gostoso”, conta. Ele destaca o elemento do dragão levado para o ginásio.

“O dragão foi muito esperado pelo estado de Alagoas. A gente nunca pensou em fazer um dragão daquele e funcionar e graças a Deus deu certo”, considera.

Com informações da Gazeta Web / Fotos: Ailton Cruz. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias