História Homenagem

Dr. João Cabral Toledo

Médico, ex-deputado estadual e ex-prefeito de Capela e Cajueiro.

11/05/2021 07h23 Atualizada há 3 semanas
872
Por: Phablo Monteiro
O atalaiense Dr. João Cabral Toledo.
O atalaiense Dr. João Cabral Toledo.

Em 04 de abril de 1910, nascia na Fazenda Campina, município de Atalaia, João Cabral Toledo, o décimo filho de Eustáquio Toledo Machado com Júlia Medeiros Cabral (Cabral Toledo). É neto do ex-Intendente de Atalaia, Antônio Toledo Machado e sobrinho do ex-prefeito Eberard Eloy de Medeiros Cabral.

Serviu ao exército, a exemplo do seu irmão Eustáquio Toledo Filho.

Formado em medicina no Estado de Pernambuco, na Faculdade de Medicina do Recife. E é lá também onde conhece a jovem estudante Nair Borela Toledo, com quem contrai núpcias e tem dois filhos: Geny Borela Toledo (Albuquerque) e Luiz Eustáquio Toledo, que presidiu a Corte do Tribunal de Contas do Estado por cinco vezes, foi ex-prefeito de Cajueiro e ex-secretário de Estado.

Em segundo matrimônio, o Dr. João Cabral Toledo casa-se com Eleusa Lucena Toledo, com quem teve um filho: João Toledo Filho.

É avô do atual deputado federal por Alagoas, Sérgio Toledo de Albuquerque, filho de Geny Borela Toledo de Albuquerque e do atalaiense Stélio Darci Cerqueira Albuquerque. 

Foi médico em Capela, Cajueiro e em sua terra natal Atalaia, onde prestou serviços médicos como plantonista na Companhia Açucareira Alagoana S.A. (Usina Uruba). Muito exerceu a medicina, sem nada cobrar.

Sua residência ficava localizada no começo da entrada da Capela. Também residiu em uma casa na fazenda de seu filho Luiz Eustáquio Toledo, em Cajueiro.

Em uma época onde toda família tradicional precisava ter um representante na política, o Dr. João Cabral Toledo ingressa na vida pública, após desistência de seu irmão Cícero Cabral Toledo, então deputado estadual, em dar prosseguimento a sua carreira política.

Contando com grande prestigio político, concorre a uma vaga na Assembleia Legislativa de Alagoas. Na eleição de 1950 obteve 1135 votos sendo eleito pelo PST para a Legislatura de 1951 a 1954. Reeleito em quatro oportunidades: Na eleição de 1954 obteve 1775 votos sendo eleito pelo PTN para a Legislatura 1955 a 1958; pela Coligação PSD-PTB-PRP para a legislatura 1959 a 1962; Na eleição de 1962 obtém nas urnas 1743 votos sendo eleito pelo PSD para a legislatura 1963-66, e pela ARENA, na eleição ocorrida em 1966, obteve 2557 votos sendo eleito para a Legislatura 1967-70.

Cícero Toledo Neto define seu tio-avô como alguém muito habilidoso politicamente. “Era ele um grande articulador nos bastidores. Convivi muito com ele. Era uma pessoa que contagiava a todos. Era fanho, nunca subiu no palanque para fazer nenhum discurso. Todo o contato dele era de bastidor, visitando. Se chegasse para conversar com alguém, “dobrava” essa pessoa na hora. Era uma pessoa fantástica, um bom vivã”. 

Foi o deputado Dr. João Cabral Toledo um dos grandes nomes em prol da causa açucareira na Casa Tavares Bastos.

Era um dos 22 deputados de oposição ao Governo Muniz Falcão, se posicionando  favorável ao pedido de impeachment do então governador, elaborado pelo deputado Oséas Cardoso. No dia 13 de setembro de 1957, o plenário da Assembleia Legislativa de Alagoas, situado na capital, Maceió, tornou-se palco de um cenário de guerra, com um grande tiroteio entre situação e oposição, que resultou na morte do deputado Humberto Mendes e Intervenção Federal em Alagoas, pelo presidente da época Juscelino Kubitschek.   

Após cinco mandatos representando os alagoanos, é eleito prefeito de Capela, exercendo seu mandato de 1970 a 1973.

“Com seu campo de apoio eleitoral restrito, e junto com sua família já visando apoiar Geraldo Melo para a Assembleia Legislativa, articula sua candidatura a Prefeitura de Cajueiro”, comenta Cícero Toledo Neto.

Eleito prefeito do município de Cajueiro, assume em 1975, porém, não chega a concluir seu mandato, já que é assassinado na porta da Prefeitura, em 18 de maio de 1977, assumindo a chefia do Executivo o senhor José Ailton Casado, então vice-prefeito.

“Foi assassinado por um psicopata, alguém que botou na cabeça que queria ser prefeito de Cajueiro e que se matasse o prefeito, se tornaria ele o prefeito. Ele ia saindo da Prefeitura, já estava descendo os degraus para entrar em seu carro que estava estacionado na frente. O assassino veio e lhe deu uma facada”, nos relata Cícero Toledo Neto.

Em sua homenagem, duas ruas localizadas em Maceió receberam o nome de Rua Doutor João Cabral Toledo, uma na Chã da Jaqueira e outra em Cruz das Almas. Também em sua homenagem, o CAPS da cidade de Capela se chama CAPS DR. JOÃO CABRAL TOLEDO "ESPAÇO NOVA VIDA".

“Botou duzentos no mundo

Eu falo em Doutor João

Grande amigo e cidadão

Que se acabou num segundo

Deixou um pesar profundo

Pois foi grande Deputado

Político considerado

Mas veja o que alguém me disse

Dizia vou jogar pif

E tinha buraco marcado”.

Versos do poema Saga de uma Família, do livro Poeta Daqui, de Cícero Toledo Neto.

João Cabral Toledo ao lado do seu irmão Eustáquio Toledo Filho, ambos serviram ao exército brasileiro.

Início na década de 70, Dr. João Cabral Toledo e seu filho Luiz Eustáquio Toledo, diplomados juntos prefeitos de Capela e Cajueiro, respectivamente.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias