História Bloco Caça Cachaça

Bloco Caça Cachaça de Atalaia – O Bloco do nosso Coração!

Caça Cachaça chegou a ter mais de 4 mil foliões em uma única edição.

14/02/2021 10h37 Atualizada há 18 horas
636
Por: Phablo Monteiro
Foto: Arquivo Cacha Cachaça.
Foto: Arquivo Cacha Cachaça.

Em Atalaia, a festa mais popular do Brasil esteve durante várias décadas, tradicionalmente ligada aos concorridos bailes de Carnaval. Quando ainda não existia o Clube Social, as folias eram realizadas em seus primórdios no Teatro (não mais existente) e a partir da década de 40, no Mercado Público e na Casa Rural. Ambos eram completamente ornamentados e contavam com a participação das famílias atalaienses, que brincavam os quatro dias num clima de alegria, paz e respeito, abrilhantando assim as festividades.

O blocos carnavalescos de rua também começam a ser realizados nas décadas de 40 e 50, se destacando o bloco A Ciganinha do Distrito Sapucaia, comandado pelo Major Moço, o bloco Bacalhau na Vara do Seu Agamenon, entre outros.

Mas, foi só na década de 90, com o sucesso de blocos como o Lero-Lero, Cachaça Veneno, Coelho Som, Galo da Madrugada (Galo do Helhinho) e principalmente o tão querido e saudoso Caça Cachaça, que o Carnaval de rua atalaiense cresceu e ganhou notoriedade, transformando Atalaia em um dos principais pólos turísticos alagoano em fevereiro.

O Bloco Caça Cachaça foi fundado no ano de 1994, quando um grupo de doze amigos se reuniu para animar o carnaval de Atalaia. O sucesso daquele ano fez com que a festa se repetisse nos carnavais posteriores, chegando a arrastar mais de quatro mil foliões e se tornando um dos mais importantes cordões de trio elétrico no carnaval de Alagoas.    

“O Caça foi fundado por primos e amigos. Quando o bloco nasceu, nós queríamos uniformizar a folia nos bailes de clube da cidade, mas depois essa ideia de frevo foi mudando de tendência e aderiu-se ao axé”, informa Jasse Rocha, presidente do Caça Cachaça, em reportagem de 2013.

Bloco Caça Cachaça no ano de sua fundação. Foto: Arquivo Caça Cachaça

Quem nunca fez parte da família Caça Cachaça, quem nunca “se concentrou no mercado” para ir “seguindo o bloco do meu coração”, perdeu uma grande oportunidade. As frases destacadas remetem ao Hino do Caça, letra e música de James e Kal. Confira:

HINO DO CAÇA

Concentro no mercado, tomo um gole reforçado...Eu vou...

Faço um brinde ao CAÇA, meu estado é de graça...Eu vou..

Nunca vi galera tanta emoção, quando o CAÇA avança explode a paixão

Eriço os pelos no maior tesão...Eu vou, eu vou...

Seguindo o bloco do meu coração...

Seguindo o bloco do meu coração...

Seguindo o bloco do meu coração...

Se a gata do  meu lado, dá um toque inusitado...Eu vou...eu vou...

Sutilmente abraçados, roçando corpo suado.. Eu vou...

Nunca vi galera tanta emoção, quando o CAÇA avança explode a paixão..

Eriço os pelos no maior tesão....Eu vou, eu vou....

Seguindo o  bloco do meu coração,

Seguindo o bloco do meu coração,

Seguindo o bloco do meu coração... 

O Caça soube tão bem compreender a evolução do Carnaval, que foi o único dos chamados blocos tradicionais da cidade que conseguiu acompanhar a mudança do carro de som, da simplicidade do bloco de rua que reunia grupos de amigos (muito boa por sinal) para a grandiosidade de um verdadeiro show puxado por trio-elétrico e acompanhado por multidões de foliões. Chegou a contar com a participação de mais de 4 mil foliões em uma única edição.

Caça Cachaça chegou a ter mais de 4 mil foliões em uma única edição.

Beto Jamaica, Seweey, Valneijós, Carla Visi, Marreta You Planeta, Selva Branca, Batukerê, Nairê, Levada Louca, As Meninas, Márcia Freire, entre outros artistas de renome que animaram os domingos e as segundas de carnavais da cidade de Atalaia.

Durante as duas décadas que abrilhantou o Carnaval atalaiense, entrou de forma eterna para a história de Atalaia, pois foi grande a legião de fãs que conquistou, tornando-se um dos mais famosos blocos do interior alagoano.

Uma característica que ajuda a entender o sucesso do Caça, era a quantidade de foliões que vinham de várias regiões do país. “Cresceu tanto nesses anos de atividades que a gente já recebeu pedido de inclusão no bloco até de pessoas oriundas do exterior”, destaca Jasse Rocha em 2013.

O Caça foi um dos pioneiros em Alagoas no quesito de atrações nacionais. “O  Caça é, seguramente, um dos blocos no Estado que está no topo no quesito qualidade, uma vez que de dez anos para cá foi um dos pioneiros em trazer atrações nacionais e que já se destacavam no carnaval baiano, a exemplo do grupo As Meninas, Beto Jamaica e a cantora Márcia Freire e  entre outros artistas de renome que apimentaram o nosso carnaval”, ressaltava o seu presidente.

A estrutura, segurança, inovação, ousadia, qualidade das atrações e confiança de seus associados, foram sem dúvidas as causas do sucesso e longevidade do bloco.  

Em 2015 veio aquela noticia que nenhum folião apaixonado pelo Carnaval atalaiense gostaria de receber, o Caça Cachaça paralisava suas atividades e não sairia no Carnaval daquele ano. 

Em nota divulgada em suas redes sociais e também no site Atalaia Pop, a diretoria do Caça alegava que foram vários motivos que levaram a esse encerramento, mas, dois em especial: A segurança e a instabilidade financeira pela qual o país passava naquele momento.

Confira a nota na íntegra, que com um “ATÉ BREVE” no final, deixou a todos com a esperança de que voltaremos a SEGUIR O BLOCO DO NOSSO CORAÇÃO!:

Prezado folião,

O Bloco Caça Cachaça completa 22 anos de fundação em 2015. Nesse período o Caça cresceu, realizou grandes carnavais e conquistou um número sem fim de seguidores. Gente de todos os lugares e de todas as tribos. Nossa história se mistura à história e a emoção dessas pessoas e por isso somos gratos.

Nosso agradecimento e gratidão são extensivos aos nossos patrocinadores. Alguns, presentes em todos os carnavais do Caça, parceiros há mais de duas décadas. Caso da Prefeitura de Atalaia, comércio local e Aguardente Pitu, apenas para citar alguns...

Por isso, em nome dessa relação de confiança, a diretoria do bloco vem informar da decisão de não desfilar neste carnaval. Desejo que já havíamos cogitado em 2014, e que este ano foi fortalecido pela experiência do ano que passou.

Os motivos são muitos, mas dois pesaram decisivamente. O primeiro deles tem a ver com a Segurança. O Caça atrai mais de quatro mil foliões, dentro e fora da corda, fato que nós leva a ser diretamente responsável pela tranquilidade do desfile. E mesmo priorizando a segurança do folião (são mais 100 profissionais entre seguranças e cordeiros), o aumento crescente da violência nos fez recuar. 

O segundo motivo tem a ver com a instabilidade financeira que se abateu sobre todo pais, estado e particularmente nosso município, repercutindo diretamente no poder de compra da população (festas foram canceladas por não conseguir vender nem mesmo uma dezena de ingressos ou abadás). 

- É importante lembrar, que a organização do carnaval do Caça Cachaça é uma operação que envolve dezenas de profissionais, além de trabalhar com um orçamento de grande porte. Pelos razões acima citadas, desfilar este ano seria sem dúvida, uma operação de risco.

Os motivos foram longamente discutidos pela diretoria, e suficientes para nos levar a uma pausa neste carnaval. Agradecemos a compreensão, e desejamos aos nossos foliões um alegre e tranquilo carnaval.

Até breve!

Diretoria do Bloco Caça Cachaça

O site Atalaia Pop se orgulha de ter feito parte da historia do Caça Cachaça durante 8 anos, realizando a cobertura fotográfica. Nosso sempre muito obrigado ao Jasse, Rose, Rejane, Helena e a todos os demais membros da diretoria do Caça, por toda a parceria!

* Com informações do Livro Atalaia Último Reduto do Palmarinos (1980) e do Blog do Bloco Caça Cachaça. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias