História Cinema

Primeiro longa-metragem alagoano teve cenas gravadas em Atalaia

Filme teve cenas gravadas na Usina Brasileiro e na cidade.

11/06/2020 21h51 Atualizada há 3 meses
1.249
Por: Phablo Monteiro
Antiga cadeia pública de Atalaia.
Antiga cadeia pública de Atalaia.

Com o filme A VOLTA PELA ESTRADA DA VIOLÊNCIA, o cinema alagoano ressurgia após um longo período de quase quatro décadas. Lançado em 1971, o longa-metragem dirigido por Aécio de Andrade e produzido por José Wanderley Lopes, foi uma realização da produtora alagoana Caeté Filmes do Brasil.

Já a primeira produção cinematográfica alagoana foi um curta-metragem, para o cinema mudo, CASAMENTO É NEGÓCIO (1933), de Guilherme Rogato (ASSISTA AQUI). 

Lançado em Maceió, em 3 de outubro de 1971, o longa-metragem de 74 minutos de duração, orçado em 100 mil cruzeiros, teve como um dos seus palcos de gravação a cidade de Atalaia e a Usina Brasileiro, localizada na então Vila de Sapucaia. Cenas também foram gravadas nas cidades alagoanas de Santana do Ipanema, Maravilha, Maceió e Pilar. 

Em Memórias de uma Saga Caeté, José Wanderley Lopes comenta que o filme contou com apoio de prefeitos e autoridades destas localidades, além da colaboração da população local que facilitou a gravação. Era prefeito de Atalaia nesta época Luiz de Albuquerque Pontes, o Luiz Vigário. 

A VOLTA PELA ESTRADA DA VIOLÊNCIA é uma ficção baseada nas lutas no sertão nordestino. A seca que castiga a região é o centro dos conflitos sociais e psicológicos inseridos no contexto do filme. 

Produzida em preto e branco, numa época em que o cinema a cores já era presente no cinema nacional, recebeu o Prêmio Coruja de Ouro (1971) do Instituto Nacional de Cinema (INC) de melhor fotografia em preto e branco. José de Almeida era o responsável pela direção de fotografia e câmera.

É tempo de grande estiagem no sertão. A água desaparece dos minadouros da noite para o dia. Sebastião Lopes entrega o comando da fazenda Vereda Grande ao filho Alberto, que logo estabelece normas para enfrentar o fantasma da seca. João, filho da viúva Geracina, agregada da Vereda, é advertido sobre o problema da água, no entanto, desrespeita as cruéis normas estabelecidas e viola uma das cacimbas que ainda tem água, iniciando assim um sangrento confronto.

A cidade de Atalaia entra em cena na segunda metade do filme, num salto temporal de dez anos, quando Geracina e seu filho Calixtinho, já estão residindo na Sapucaia. Nesta cena é possível vê de longe a Usina Brasileiro e as casas que provavelmente fazia parte da Vila Operária. A pioneira usina de açúcar alagona encerrou suas atividades no final da década de 50.

Outra cena marcante no filme que foi gravada na cidade Atalaia é quando Calixtinho invade a cadeia pública, antigo prédio que ficava na esquina entre as Ruas XI de Julho e Ernesto Lopes Filho. Nessa cena, ele liberta os comparsas e saem em fuga por algumas ruas da cidade. 

Elenco: Margarida Cardoso (Geracina), José Mendes (Alberto Lopes), Maurino Alves (Calixto), Antônio Carnera, Francisco Santos, Vandik Vandré, Walter Bumucha, Guilherme Barreto, Sabino Romeriz, Conrado Veiga, Valberto Souza, César Rodrigues, Márcio Rios, Everaldo Liziário, André Mendes, Cid Nilo Souza, Sidney Cafuringa Souza, Alberico Aranda, Arnaldo Santos, Antonio Monteiro de Souza, George Leopoldino, Valdomiro Gomes, José Raimundo, Pe. Alberto Oliveira, Luiz Roberto Magalhães, Eugene Mendes.

Sinopse: Após a morte do marido, Geracina e seus três filhos, agregados do fazendeiro nordestino Alberto Lopes, dependem apenas de um cavalo como fonte de sustento. Com a seca que assola a região, o fazendeiro manda fechar a cacimba, única fonte de água das redondezas. Ao tentar violar a cacimba para dar água ao cavalo, o filho mais velho é assassinado por Lopes. Ameaçada de morte, a viúva apela para a Justiça, mas o juiz, comprado pelo fazendeiro, absolve-o. Mãe e filho abandonam a região e passam a trabalhar num engenho de açúcar. Quando Calixtinho, o filho caçula, atinge a maioridade, Geracina incita-o contra Lopes para vingar a morte do irmão e os ultrajes sofridos pela família. Calixtinho organiza um bando de jagunços, ataca o fazendeiro e todos os Lopes são exterminados. O grupo fica rondando pelos arredores, sem rumo, até que a polícia, num ataque organizado, consegue vencê-lo.

Assista logo abaixo:

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias